PET de Zootecnia chega aos 25 anos


Por Beth Oliveira

Programa realiza importantes atividades de formação para discentes da UFRPE

 

O Programa de Educação Tutorial (PET) de Zootecnia da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) comemora 25 anos com muita vitalidade. Desde 2012 sob o comando do professor tutor Fernando Porto, adjunto do departamento de Zootecnia da instituição, o programa segue a todo vapor e com muitos planos para 2018. Desenvolvido por estudantes bolsistas e voluntários da graduação, o PET é uma iniciativa do Governo Federal, com subordinação à Secretaria de Ensino Superior (SESu) do Ministério da Educação.

 

Na Zootecnia, o programa desenvolve diversas atividades que visam a formação dos alunos. Entre elas, estão minicursos, workshops, ciclos de palestras, atividades de extensão, eventos científicos com foco na área e no campo da produção animal. Um fator muito importante é propiciar aos estudantes maior contato com profissionais que estão no mercado de trabalho através de visitas técnicas a haras, fábricas de ração, fazendas de gado, frigoríficos, supermercados e outros espaços que promovam a interação. Ou seja, sua principal função é a indissociabilidade entre ensino, pesquisa, extensão e educação tutorial.

 

Traçando uma “avaliação” sobre os avanços do PET ao longo desse tempo, Porto, que é doutor em biologia marinha pela Universität Bremen, na Alemanha, evidenciou a consolidação do programa no departamento. “Uma conquista importante tem sido a melhor preparação dos alunos egressos do programa, que se destacam na pós-graduação (muitos foram para o mestrado em outros estados ou países, como Irlanda, EUA, França). Temos vários egressos do programa que hoje são professores de IFs ou Universidades. Em nosso Departamento, hoje, temos 4 ex-petianos como professores adjuntos,” afirma.

 

Além dessas atividades de integração entre a universidade e a sociedade, o PET é responsável por realizar a Semana de Zootecnia, evento que ocorre desde a fundação. Realizado na UFRPE, o evento tem crescido com o passar do tempo e atraído estudantes, profissionais e empresas de outros estados do Nordeste. “Também recebemos alunos da rede pública (ensino médio), para visita guiada entre os setores e laboratórios de nosso departamento, visando mostrar as áreas de atuação de um zootecnista. Agora em 2017, tivemos recorde de público. Isto tem sido algo bastante gratificante, pois mostra aos alunos de outras instituições um importante direcionamento na profissão, através do contato com palestrantes, expositores, pesquisadores”, comenta.

 

Para 2018, o professor tutor conta que, junto aos 12 bolsistas que hoje atuam no programa, pretende modificar a programação anual, atualizar e criar novas atividades. “Iremos buscar parcerias (fazendas, fábricas de ração, haras, etc) para ajudar e este será um dos desafios. Também temos focado em turmas de primeiro e segundo períodos da graduação para orientar os “alunos novatos” nos trâmites da universidade e motivando o recém chegado a permanecer no curso,  conhecer  professores e pesquisas em desenvolvimento e , principalmente, a gostar da profissão. Nas próximas semanas lançaremos o site e a chamada inicial para a 26ª Semana de Zootecnia da UFRPE,” pontua.