Homenagem Póstuma – Mário de Andrade Lira (1941-2018)


Com profundo pesar a Sociedade Nordestina de Produção Animal informa o falecimento do Prof. Mário de Andrade Lira, ocorrido no dia 09 de dezembro. À família enlutada apresentamos nossos sentimentos de solidariedade e respeito neste momento de dor e saudades.

 

O Prof. Mário de Andrade Lira nasceu no município de Recife no ano de 1941. Ingressou no curso de Agronomia da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) em 1962 e obteve o diploma de Engenheiro Agrônomo em 1965. Iniciou Mestrado em Agronomia na Universidade da Georgia, EUA, em 1966, como bolsista do USAID, e obteve o grau de Mestre em 1967, com a dissertação intitulada “Effect of fungicides on nodulation of soybeans”, tendo como orientador Dr. Joel Guiddens. Após concluir o Mestrado, Porf. Mário retornou ao Brasil, tendo trabalhado no Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) como pesquisador na Estação Experimental de Itambé, desenvolvendo trabalhos na área de Manejo de pastagens e melhoramento de forrageiras. Em 1970, Prof. Mário ingressou na UFRPE como Professor, ministrando as disciplinas de Genética Vegetal, Introdução a Biologia e Genética Quantitativa. Continuou sua formação acadêmica e profissional, iniciando doutorado em 1972 na Universidade do Arizona, EUA, novamente como bolsista do USAID, tendo obtido o título de PhD em Agronomia em 1974, com a tese “Diallel analysis of water-use efficiency in giant bermudagrass Cynodon dactylon (l.) var. Aridus Harlan et de Wet”, sob a orientação do Dr. W. R. Kneebone. Ao retornar ao Recife após conclusão do PhD, Dr. Mário Lira reassumiu sua posição de docente/pesquisador na UFRPE e no IPA, sendo um dos primeiros doutores da UFRPE.

Ao longo da sua carreira, Prof. Mário desempenhou além de atividades de docência e pesquisa, atividades administrativas importantes como Coordenador de convênios com a Fundação Ford (1975-1978), Fundação Rockfeller USAID/IRI (1975), BNB (1975-1978), SUDENE (1977-1978), CNPq (vários) e BRASCAN (1976-1978). Além disso, foi Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Botânica da UFRPE (1986-1989), Assessor do Reitor da UFRPE (1991-1995), Coordenador do Programa de Produção Animal do IPA (2007-2009), Diretor de Pesquisa do IPA (1999-2003), Membro do comitê assessor do macro programa 2 da EMBRAPA (2004-2010), Presidente da Câmara Técnica de Extensão Rural Pesquisa e Treinamento do CONDEPE (2002-2003), além de diversas assessorias, comissões e conselhos superiores da UFRPE, do IPA e da Secretaria de Agricultura do Estado de Pernambuco.

Em 1982, Dr. Mário Lira iniciou suas atividades didáticas na graduação do curso de Zootecnia, tendo ministrado as disciplinas de Técnicas de Experimentação com Pastagens e Animais e Plantas Forrageiras e Pastagens II. Em 1984, Prof. Mário realizou concurso para Professor Titular do Departamento de Zootecnia da UFRPE, tendo sido aprovado em primeiro lugar. Dentre as atividades de docência na pós-graduação, destacam-se suas atuações nos Programas de Botânica (1975-1995), onde ministrou as disciplinas de Metodologia do Melhoramento e Bioestatística, além de participar do Programa de Pós Graduação em Zootecnia da UFRPE (1980-2018) e do Programa de Doutorado Integrado em Zootecnia (UFRPE, UFC e UFPB) (2000-2018), ministrando a disciplina de Melhoramento Genético Vegetal. O Prof. Mário aposentou-se da UFRPE em 1995, todavia continuou atuante no Programa de Pós-graduação, ministrando aulas e orientando alunos de iniciação científica e de PósGraduação. Nos períodos de 2003-2005 e 2007-2009, Dr. Mário Lira foi professor visitante da UFRPE.

Durante sua vida profissional, Dr. Mário Lira recebeu diversas premiações, podendo-se destacar, em ordem cronológica, as de orientador da melhor dissertação nacional do ano de 1988 em Zootecnia (Prêmio Otávio Domingues), concedido pela Sociedade Brasileira de Zootecnia, Mérito Científico de Produção Animal, concedido pela Sociedade Nordestina de Produção Animal (1998), Acadêmico da Academia Pernambucana de Agronomia (1999),  premiação de Zootecnista do ano de 2002, concedida pela Sociedade Brasileira de Zootecnia e orientação da melhor tese de 2018, concedido pela Sociedade Nordestina de Produção Animal.

O Prof. Mário de Andrade Lira teve atuação destacada em sua vida profissional principalmente na área de Melhoramento de Forrageiras e Manejo de Pastagens. Liderou os Programas de Melhoramento de Sorgo e Milheto, tendo sido valiosa sua contribuição na geração de variedades utilizadas em grandes áreas agrícolas até os dias atuais. Foi responsável pela introdução de forrageiras que são importantes até os dias atuais.  Além disso, Prof. Mário iniciou os trabalhos de melhoramento de palma forrageira (Opuntia e Nopalea), Capim- elefante (Pennisetum purpureum Schum.) e híbridos deste com o Milheto, além de leguminosas como Sabiá (Mimosa caesalpiniifolia Benth.) e Mororó (Bauhinia cheilantha) em Pernambuco, sendo responsável por diversas atividades de pesquisas relacionadas a esses temas. Além da forte atuação na área de melhoramento de forrageiras, Prof. Mário também teve atuação destacada na pesquisa em manejo de pastagens, com destaque para consórcio de gramíneas e leguminosas e adubação de pastagens.

Ao longo de sua vida acadêmica, o Dr. Mário de Andrade Lira publicou 180 trabalhos científicos completos em revistas nacionais e internacionais com corpo editorial e sistema de avaliação “peer review”, por revisores ad-hoc. Publicou dois livros e foi autor de 28 capítulos de livros com corpo editorial. Dr. Mário Lira publicou 200 resumos em Congressos, além de ter apresentado conferências diversas em Congressos Nacionais e Internacionais. Publicações técnicas como boletins, folhetos, informativos completam a lista de publicações do pesquisador.

A formação de recursos humanos durante sua vida profissional é outro ponto a ser destacado na carreira do Prof. Mário Lira, que orientou e co-orientou aproximadamente 59 alunos de mestrado, 29 de doutorado e 16 de iniciação científica, além de participar atualmente da orientação/co orientação de alunos de mestrado, doutorado e iniciação científica.

Professor Mário era uma pessoa que apreciava as coisas simples da vida, sempre demostrando humildade na busca e na doação do conhecimento. Possuía enorme senso prático, advindo não apenas de sua experiência de pesquisa, mas também de produtor rural. Além disso, possuía uma capacidade enorme de formar e liderar equipes e pessoas.

Prof. Mário trabalhou até o final da sua vida, corrigindo trabalhos, orientando alunos e convocando ao trabalho sua equipe. Dia 09 de dezembro deixou sua esposa, D. Maria, três filhos e cinco netos.